Aurora

À Quintana:

E todos aquilos
que um dia estiveram atravancando o meu corpinho
(...)

Eles passaram.
Eu passarinho! v.V

_Aline, 21/03/2015.



sábado, 22 de dezembro de 2012

Piaimã

Tarsila do Amaral, São Paulo.


tuas linhas retas recusam minhas curvas
sinto falta do sol

tuas luzes brancas desbotam-me a alma
e sinto frio

teu excessivo ar refrigerado me apodrece
sinto-me enlatada

e sinto muito

estou febril
tou sem voz
sem ar

ressecada
                          di  s   s  ec   a  da

sem cor

cadê teu modernismo
onde se esconde tua poesia
   [pau-brasil

?

era eu Macunaíma
te dava novo brasão

apagava "Non ducor, duco"
e escrevia "Piaimã"
                     [o comedor de gente


(Aline Barra – 22/12/2012)